A conta do meu, seu, nosso tempo

Deus pede estrita conta de meu tempo.
E eu vou do meu tempo, dar-lhe conta.
Mas, como dar, sem tempo, tanta conta.
Eu, que gastei, sem conta, tanto tempo?
Para dar minha conta feita a tempo,
O tempo me foi dado, e não fiz conta.
Não quis, sobrando tempo, fazer conta.
Hoje, quero acertar conta, e não há tempo.
Oh, vós, que tendes tempo sem ter conta,
Não gasteis vosso tempo em passatempo.
Cuidai, enquanto é tempo, em vossa conta!
Pois, aqueles que, sem conta, gastam tempo,
Quando o tempo chegar, de prestar conta
Chorarão, como eu, o não ter tempo…
“Frei Antônio das Chagas”(Por volta do Século XVII.)

Anúncios

[crônica] Cansei de ouvir falar, mas já descansei. Pode continuar…

Estou realmente cansado de muitas coisas, mas felizmente tenho força e motivação para descansar. Lembro-me de ter ouvido de um hábil mestre dos cursos que frequentei, que a gente nunca pode dizer nunca. Ele disse, que você pode trocar o termo nunca por “quando o saci ficar de quatro”, por exemplo. Eu acrescento uma frase substituindo a palavra “nunca”, pegando o gancho no nosso riquíssimo folclore brasileiro: “quando a mula sem cabeça fizer chapinha”. Piorou (ou pirou) muito.
Bem, voltando ao assunto do “cansei e descansei”, é que nós usamos muito essa frase: “estou cansado disso e daquilo” imaginando que aquilo não queremos mais. A vida da gente é pleno movimento, estamos todos os dias experimentando novas situações e, assim como na moda, que já fez voltar a calça “boca de sino” e o sapato plataforma várias vezes, daquilo que nos cansamos, um dia vai retornar. Ah isso vai.

O Governo marketeia as escolas particulares

Certo dia, em uma das minhas divagações diárias, me vi diante de uma situação intrigante. Afinal, para que serve o Enem, o tal do Exame Nacional de Cursos? Digo isso porque ele sempre fornece o mesmo resultado: Escolas particulares são melhores do que as públicas. Não seria então uma contra-propaganda de seu próprio projeto educacional. É realmente um depaupério, ou seja, o governo paga uma fortuna para dizer algo que todo mundo já está cansado de saber.Enfim, deve haver algum outro propósito. Pensei, pensei e, eureka!: O governo então é o garoto-propaganda das escolas particulares, é isso! Puxa, que reforço ein, com isso, percebi que realmente não adianta nem mandar proposta para as escolas oferecendo meus serviços de consultoria em comunicação e marketing, afinal, nunca vou ser melhor do que o governo cuja verba abunda (no bom sentido).Desta forma, é muito fácil para as escolas particulares fazerem propaganda, basta mostrar a nota do Enem. Com isso, formata-se uma política de preço. Hipotéticamente, se a escola pública vai até nota 4 e não custa nada, poderíamos dizer que a escola particular que obteve nota 5 pode cobrar R$ 100,00 por mês. Este raciocínio seria escalonado e aritmeticamente simples: a cada ponto na média do Enem, R$ 100,00 a mais na parcela. Que tal?Bem, não é realmente a minha praia falar de educação neste país, mas – como pagador de impostos e pai de duas filhas – me interesso demais com o que o governo faz com o dinheiro.E com a educação.

Aconteceu já faz um tempo. E a Cicarelli tava lá.

O YouTube mudou a minha vida!

– Pai, como que fecha um site? Perguntou minha filha de 12 anos. Eu respondi a ela: -De muitas formas, por exemplo, deixando de pagar o provedor de hospedagem, o registro do domínio, ou, por vontade dos seus proprietários, como foi o caso do www.aol.com.br.
E o juiz, pode fechar um site? Respondi que sim, afinal é uma ordem judicial e arrematei: – Se o site, estiver cometendo um crime grave e que afeta a todos os internautas. Mas, o que normalmente acontece é mandar tirar do ar alguma imagem, frase etc… Eu não conheço nenhum caso de tirar o site todo fora do ar porque seria o mesmo que fechar um jornal por conta de uma única matéria. Exagero.
Lá vem ela novamente: – Porque então o juiz fechou o Youtube a pedido da Cicarelli? É grave o que ela fez?
Naquele momento, minha vida tomou um outro rumo, ou seja, ter de explicar para a minha filha de, repito, 12 anos, que a atitude da Dona Cicarelli era a de impedir que as pessoas vissem o que ela estava fazendo numa praia pública. Tarefa complicada porque envolve um tema difícil de entendimento para nós, que é a “privacidade”.
Mas, ao que parece, o filme em que a VJ Daniela Cicarelli se diverte com o namorado numa praia espanhola há de tudo menos violação de privacidade, até porque a rua, a repartição pública, a praça, a praia, são públicos. Ambientes públicos não são privados. É o que eu acho.
O YouTube é, meramente, um site que disponibiliza um espaço para quem quer que seja (abolutamente democrático), para a inserção de pequenos filmes. Lá você encontra desde pequenos filmes de família, até o polêmico trecho do enforcamento de Saddam Hussein. Lula e Alckmin, candidatos, já foram expostos no YouTube e não queriam, porque apareciam trechos extraidos de momentos antigos de sua trajetória política.
Assim, o bloqueio ao YouTube mudou a maneira com que vejo a “vida privada” e fez o Brasil passar por ridículo, comparando-a com países como China, Irã, Arábia Saudita, Cuba, que são países com censura à Internet.
Está certo que para muitas pessoas, este episódio não acrescentou em nada. Mas, fique sabendo que você não deve sair incólume dessa. Pelo menos no que diz respeito ao conceito de privacidade.Portanto, tome cuidado com essa história de Público e privado.

Motivacional

Eu aprendi… …que ter uma criança adormecida nos braços é um dos momentos mais pacíficos do mundo;

Eu aprendi
…que ser gentil é mais importante do que estar certo;

Eu aprendi… …que eu sempre posso fazer uma prece por alguém quando não tenho a força para ajudá-lo de alguma outra forma;

Eu aprendi… …que não importa quanta seriedade a vida exija de você, cada um de nós precisa de um amigo brincalhão para se divertir juntos;

Eu aprendi… …que algumas vezes tudo o que precisamos é de uma mão para segurar e um coração para nos entender;

Eu aprendi… …que os passeios simples com meu pai em volta do quarteirão nas noites de verão quando eu era criança fizeram maravilhas para mim quando me tornei adulto;

Eu aprendi… …que deveríamos ser gratos a Deus por não nos dar tudo que lhe pedimos;

Eu aprendi… …que dinheiro não compra “classe”;

Eu aprendi… …que são os pequenos acontecimentos diários que tornam a vida espetacular;

Eu aprendi… …que debaixo da “casca grossa” existe uma pessoa que deseja ser apreciada, compreendida e amada;

Eu aprendi… …que Deus não fez tudo num só dia; o que me faz pensar que eu possa ?

Eu aprendi… …que ignorar os fatos não os altera;

Eu aprendi… …que quando você planeja se nivelar com alguém, apenas esta permitindo que essa pessoa continue a magoar você;

Eu aprendi… …que o AMOR, e não o TEMPO, é que cura todas as feridas;

Eu aprendi… …que a maneira mais fácil para eu crescer como pessoa
é me cercar de gente mais inteligente do que eu;

Eu aprendi… …que cada pessoa que a gente conhece deve ser saudada com um sorriso;

Eu aprendi… …que ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa;

Eu aprendi… …que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;

Eu aprendi… …que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu.

Eu aprendi… …que quando o ancoradouro se torna amargo a felicidade vai aportar em outro lugar;

Eu aprendi… …que devemos sempre ter palavras doces e gentis pois amanhã talvez tenhamos que engoli-las;

Eu aprendi… …que um sorriso é a maneira mais barata de melhorar sua aparência;

Eu aprendi… …que não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito;

Eu aprendi… …que todos querem viver no topo da montanha, mas toda felicidade e crescimento ocorre quando você esta escalando-a;

Eu aprendi… …que só se deve dar conselho em duas ocasiões: quando é pedido ou quando é caso de vida ou morte;

Eu aprendi… …que quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer.
William Shakeapeare

Site do escritor e palestrante

%d blogueiros gostam disto: